A Sicoob Credisul está comemorando um grande crescimento histórico em 2017, pois só em outubro, a cooperativa alcançou R$ 800 milhões em ativos, um salto de 44% em relação a agosto de 2016 quando registrou cerca de R$ 556 milhões em ativos.

Esse crescimento reflete diretamente nos resultados. Até agora, no acumulado dos 10 meses desse ano, a Sicoob Credisul já gerou R$ 34 milhões de resultados positivos, o que nos bancos é chamado de lucro.

“É esse resultado que é divido entre os cooperados conforme o capital social e as movimentações financeiras de cada um. Nesses 18 anos de atuação já foram devolvidos aos cooperados cerca de R$ 208 milhões em sobras. É uma rentabilidade invejável, que nos coloca como uma das principais instituições privadas do estado”, diz Ivan Capra, presidente do Conselho de Administração. 

Para manter o histórico de bons resultados é necessária uma administração responsável e competente. Neste contexto, a Siccob Credisul tem conseguido se estabelecer nesse mercado nervoso e instável, e se destacar.

O diretor executivo Vilmar Saúgo também lembra de outra importante característica das cooperativas de crédito. São instituições financeiras que não visam apenas lucro e têm um princípio social que é a sua essência: o desenvolvimento econômico da região.

Por conta dessas características, conseguem resultados tão expressivos. “A solidez, a credibilidade e cooperação são a razão da cooperativa chegar aos 18 anos com 18 mil associados. Por isso, a Sicoob Credisul agradece a confiança dos cooperados e continua trabalhando pelo crescimento da região”, afirma Saúgo.

A Credisul não é a única que vai bem. O Sicoob é o maior sistema financeiro cooperativo do Brasil com mais de 3,8 milhões de cooperados, e 2,6 mil pontos de atendimento distribuídos em todo o País.

Em 2017, o Sistema alcançou a 39ª posição no ranking dos 200 maiores grupos privados, os “Melhores & Maiores” da revista Exame. O Sicoob subiu 12 posições na classificação – passando de 51º para 39º colocado. Esse resultado reflete a inovação, a agilidade e a essência da instituição: a economia compartilhada, feita por todos e para todos.

A edição 2017 das “Melhores & Maiores” avaliou os dados de mais de 3 mil empresas, além dos maiores grupos privados do País. O objetivo do ranking é medir o desempenho das empresas individualmente. Além das receitas de vendas, em reais e em dólares, a lista fornece informações, como lucro ou prejuízo, patrimônio, crescimento das vendas, rentabilidade, liquidez, endividamento, riqueza gerada e riqueza criada por empregado.

O critério de avaliação é basicamente uma comparação dos resultados obtidos em termos de crescimento, rentabilidade, saúde financeira, participação de mercado e produtividade por empregado.

 


Notícias Anteriores